ATLAS DE PORTUGAL

UM PAÍS DE ÁREA REPARTIDA

 

Logotipo do SNIG

Search for:
Google

 

Raquel Soeiro de Brito

CLIMA E SUAS INFLUÊNCIAS

Os solos

Distribuição de tipos de solo

Distribuição de tipos de solo

 

Legenda

Os solos, ou resultam de alterações químicas, físicas e biológicas das formações geológicas, as quais dependem, em grande parte, do tipo de clima e do ritmo do tempo – dando os solos eluvionares, em geral pouco espessos, pedregosos e de baixa produtividade –, ou são o resultado da acumulação de detritos transportados pelos cursos de água – os aluviões ou solos aluvionares, em geral mais profundos do que aqueles, mas que só se encontram em áreas reduzidas nos vales largos do norte e nuns largos quilómetros quadrados nas bacias do Tejo - Sado.
Seja qual for a sua origem, os solos estão sujeitos a vários tipos de erosão que contribuem para aumentar a sua degradação e o seu empobrecimento. Um estudo efetuado no início do último decénio do século passado, no Centro Experimental de Erosão de Vale Formoso, perto de Mértola, em terrenos xistosos e sob uma precipitação de 773,3mm verificada de setembro (1989) a janeiro (1990) registou as seguintes perdas de solo, segundo a ocupação de parcelas:

Com restolho: 1,130t/ha
Com trigo (lavoura segundo as curvas de nível):
10,101t/ha
Com solo nu (lavoura perpendicular às curvas
de nível): 40,992t/ha
Com pastagem natural: 0,041t/ha

 

A destruição da cobertura vegetal por incêndios é outra causa acentuada de risco de degradação.

Nas Ilhas, apesar da intensa cobertura vegetal, nos solos vulcânicos mais evoluídos, a seguir a grandes temporais, é ‘normal’ ver-se uma mancha de água amarelo-terroso interpor-se entre a terra firme e o mar habitualmente azul que as rodeia, tão elevada é a quantidade de solo que escorre pelas encostas...

 

anteriorseguinte


Instituto Geográfico Português
Logotipo do IGP
Home | Contactos | Equipa | IGP