ATLAS DE PORTUGAL

OS HOMENS E O MEIO

 

Logotipo do SNIG

Search for:
Google

 

Dulce Pimentel

A POPULAÇÃO
Um envelhecimento progressivo

O aspeto mais marcante da situação demográfica portuguesa reside no envelhecimento da sua população. Apesar dos níveis não atingirem os de outras regiões europeias, a redução no número de jovens e o aumento do número de idosos deu-se em Portugal de modo relativamente rápido. Em 2001, pela primeira vez, o número de idosos (população com mais de 64 anos) foi superior ao número de jovens (menos de 15 anos), 1 708 000 e 1 640 000, respetivamente. Entre 1991 e 2001 deu-se uma diminuição de 16% no número de jovens e um acréscimo de 26% no de idosos.
Também a população em idade ativa envelheceu mostrando no período de 1991 a 2001 duas tendências distintas: o grupo mais jovem (até 25 anos) diminuiu 8%, refletindo o declínio da natalidade iniciado na década de 80; por seu turno, outros grupos registam aumentos (13,2% no grupo 25-44 anos e 10,2% no de 45-64 anos) que acompanham a evolução dos mais idosos; significativo é também o aumento destes: enquanto a população com 80 ou mais anos constituía em 2001 cerca de 21% da população ‘sénior’, a proporção dos mais de 85 anos chegava a 9%, mas sendo de 11% para as mulheres, o que traduz a sua maior esperança de vida.

Pirâmide de idades, 1960 e 2001

Pirāmide de idades, 1960 e 2001

Click na imagem para ampliar

 


O fenómeno do envelhecimento demográfico tem vindo a acentuar-se. No início dos anos 60 os níveis de natalidade eram elevados, representando os jovens quase 30% do total da população. Ao nível europeu, Portugal apresentava uma estrutura relativamente jovem, mas hoje é um dos países que regista uma menor proporção de jovens. Por seu turno, o grupo de idosos mais que duplicou desde 1960, situando-se atualmente próximo da média europeia; e com ele aumentou também o índice de dependência total.
No início do século XXI a população é essencialmente composta por adultos e pessoas idosas, o que tem inevitáveis consequências tanto do ponto de vista demográfico, como económico e social. O envelhecimento afeta todas as regiões, mas é mais pronunciado quando se combinam fracos níveis de fecundidade com saldos migratórios negativos. No Continente são ainda os concelhos do interior que apresentam níveis de envelhecimento mais elevados, chegando a atingir 4 idosos por cada jovem. O Norte mantém a posição de região mais jovem do Continente: 17,5% de jovens e 14% de idosos, mas as populações dos dois arquipélagos são as mais jovens do País – 21,4% da população açoriana tem menos de 15 anos e apenas 13% tem mais de 64 anos, enquanto na Madeira, cerca de um quinto da população tem menos de 15 anos e 14% tem mais de 64 anos. Em consequência detêm os mais baixos índices de envelhecimento: os Açores, 62, e a Madeira, 71, quando em 2001 a média nacional foi de 104.

 

Índice de envelhecimento, 2001
Índice de dependência total, 2001


anteriorseguinte


Instituto Geográfico Português
Logotipo do IGP
Home | Contactos | Equipa | IGP